A cozinha alentejana é extremamente rica. Foi influenciada pelos árabes ao longo de séculos de permanência nesta zona da Península Ibérica, e deve sobretudo a sua originalidade ao emprego apropriado de diversas ervas aromáticas.

    A combinação destas ervas, tais como os coentros, os orégãos, o poejo, a salsa, a hortelã, as beldroegas, etc., com a massa de pimentão, o fino azeite de oliveira e o delicioso pão caseiro, dão corpo e sabor às açordas ou sopas alentejanas, migas (espécie de omeleta de pão frito), gaspachos e ensopados.

    Nesta zona, podemos encontrar vários tipos de açorda, desde a açorda de alho e coentros, acompanhada com ovos escalfados, e por vezes com queijo fresco, bacalhau ou figos frescos, a açorda de tomate à base de batata, ovos escalfados e queijo de cabra cozido.

    A sopa de beldroegas é também um prato bastante procurado, é confeccionado com uma erva tipicamente desta zona. De salientar também a famosa sopa de peixe do rio, que como o nome indica é feita com peixe fresco do rio Guadiana, combinada com o sabor inconfundível da chamada hortelã da ribeira, e ainda a sopa de cação com poejos.

    O porco, o borrego e a caça detêm um papel importantíssimo no leque de sabores alentejanos, em parceria com uma sábia mão no tempero. O porco, o qual se consome fresco na sua totalidade, ou em enchidos e presuntos. Os pratos são variados, destacando-se as migas de pão com carne de porco frita temperada com massa de pimentão, o lombo assado no forno ou a carne de porco à alentejana. O borrego é também bastante confeccionado nesta zona, recomendando-se assado ou em ensopado.

    Os doces e os bolos de tradição conventual são também famosos na Região, preparados à base de ovos, gila, amêndoa e mel. A destacar o famoso bolo rançoso (gila e amêndoa), o bolo podre (mel e azeite) e a encharcada.

    Da ovelha e da cabra obtém-se o leite que é utilizado na fabricação artesanal de bons queijos regionais, consumidos frescos, de meia cura ou secos. Havendo tanto e bom queijo, é natural que outra especialidade local sejam as queijadas.

    Os vinhos do Alentejo, conhecidos internacionalmente, são o acompanhamento ideal para muitos dos pratos apresentados, salientando-se nesta zona o vinho do Esporão, da Adega Cooperativa de Reguengos de Monsaraz, Monsaraz, Borba e Redondo.

    Numa boa mesa alentejana não nos podemos nunca esquecer das azeitonas da região, desde temperadas de conserva, retalhadas ou pisadas.

    Estes pratos são apenas alguns testemunhos de uma herança gastronómica que, na pobreza, encontrou a sua riqueza e requinte.